A prostituta sagrada

Se o titulo deste post pode suscitar grande interesse, intriga ou mesmo perplexidade... o que a mim me causou grande "risada" (pela ironia sujacente a uma talvez verdade) foi a frase que me fez escrever esse mesmo título. De facto, este post, que talvez poderia adquirir extensas linhas de comentários subjacentes ao tema, ou para outros, que iria falar de Maria Madalena, vai resumir-se, simplesmente, a citar uma frase que ouvi hoje, ao ver o programa de televisão "On Est Pas Couché", da boca de Patrick Besson (escritor), para que cada um reflicta sobre isso mesmo e pela, talvez, controvérsia que essa frase possa suscitar nos corações de cada um.

 

 

 

"Para mim, as mulheres prostitutas são mulheres sagradas. Compreendemos bem, elas são sagradas a titulo duplo: As que fazem contra a sua própria vontade são mártires, e daí, todas as mártires são sagradas; e as que o fazem porque querem fazê-lo, elas preferem fazer isso a outra coisa, dão amor a quem o pede, o que é próprio dos religiosos. Assim, no conjunto, as prostitutas são mulheres sagradas."

 

(o texto é uma tradução da frase dita em francês)

 

 

 

 

E depois disso, vou voltar aos livrinhos, que amanhã tenho exame ... desejai-me sorte :)

 

 

 

 

 

publicado por stevs às 16:17 | comentar | favorito
tags: